sábado, 14 de maio de 2016

Suicídio ao vivo no Periscope relança polêmica sobre limites em redes sociais na França

(Daniele Fernandes Da BBC VIA UOL) Divulgação
O suicídio de uma jovem francesa transmitido ao vivo pelo Periscope, aplicativo de difusão instantânea de vídeos, relançou na França a polêmica sobre os desvios e a falta de controle do que é divulgado nas redes sociais.
Océane, 19 anos, filmou os instantes em que se atirou na frente de um trem suburbano em Egly, no sul de Paris, sob os olhares de inúmeros internautas no Periscope, aplicativo comprado pelo Twitter em 2015, bastante utilizado por adolescentes e com estimados 10 milhões de usuários.
No vídeo do suicídio, que dura 29 minutos, a jovem, segundo comentários de internautas que assistiram às imagens, teria acusado o ex-namorado de tê-la estuprado e divulgado a agressão no aplicativo Snapchat.
Ao ver que a jovem se aproximava dos trilhos do trem, alguns internautas perceberam o risco da situação e tentaram convencê-la de não se matar.
Outros alertaram o Periscope e ligaram para números de emergência.
Após Océane ter se atirado sob o trem, a tela se tornou escura, mas os internautas, cada vez mais numerosos, podiam ouvir os gritos de horror das testemunhas na estação. Um bombeiro apareceu na imagem, com um trem atrás dele. Ele pegou o telefone da jovem e o desligou.
"Os jovens se definem hoje por meio da imagem e do que eles mostram de si mesmos, sobretudo nas redes sociais, onde a palavra mais difundida é ser popular", afirma o psiquiatra Xavier Pommereau, do hospital de Bordeaux e autor do livro O Gosto do risco na adolescência.
Para o psiquiatra, o aplicativo pode ter contribuído para amplificar o desejo da jovem de passar à ação.
"Sem ter consciência, ela capturou os olhares de testemunhas que podem ficar traumatizadas. Os internautas se tornaram reféns de um drama", diz Pommereau, que destaca também o risco de fenômenos de imitação.
"Não se trata de proibir as redes sociais. Mas é necessário ter mais moderadores para antecipar os perigos. A internet é um oceano, mas mesmo isso não impede que existam regras", opina.   (Leia Mais;http://tecnologia.uol.com.br/noticias/bbc/2016/05/13/suicidio-ao-vivo-no-periscope-relanca-polemica-sobre-limites-em-redes-sociais-na-franca.htm?cmpid=fb-uolnot

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

Postagens mais visitadas